Arquivos do Blog

O universo é eterno e você também

Cada pessoa no planeta e cada Consciência individual no Universo estão tendo a mesma experiência ao estar aqui e tendo o desejo de estar aqui. Em outras palavras, esta é a promessa desse Universo eterno. Você está sempre, sempre, sempre em seu caminho por algo mais – sempre. E quando você relaxar e aceitar isso, e parar de se debater por não estar no lugar em que não está e, ao contrário, começar a acolher o aonde você está enquanto mantém seu olho no aonde está indo – daí a vida se torna realmente, realmente, realmente divertida.

[Abraham]

Do Seminário em Asheville, NC/USA, em 25/Out/2003 – # 446
Publicado em www.abraham-hicks.com em 20/Maio/2012
TRD:LL/SP/SP/BR

Rótulos do Não-físico

O ser humano físico usa muitos rótulos dependendo de como as coisas se fazem sentir no momento para tentar descrever a interação deles com o Não-Físico. Somos Fonte de Energia. Somos Consciências Coletivas – significando um fluxo. Somos um consenso de muitas vozes Não-Físicas (como vocês poderiam chamar). Somos aquilo que muitos chamariam de anjos. Somos aquilo que alguns chamariam de Deus. Somos aquilo que alguns chamariam de Ser Interior. Mas, mais importante (e usaremos algumas de suas palavras favoritas novamente), somos Consciências focadas respondendo especificamente à vibração com a qual você lida em seus pedidos.
[Abraham]

 

Do Seminário em Porltand, OR/USA, em 12/Jul/2003 – # 447
Publicado em www.abraham-hicks.com em 21/Maio/2012
TRD:LL/SP/SP/BR

Homem de conhecimento – Dom Juan

Em nossas conversas, Dom Juan sempre usava ou se referia à expressão “homem de conhecimento”, mas nunca explicava o que queria dizer com isso. Perguntei-lhe a respeito.
– Um homem de conhecimento é aquele que seguiu honestamente as dificuldades da aprendizagem – disse ele. Um homem que, sem se precipitar nem hesitar, foi tão longe quanto pôde para desvendar os segredos do poder e da sabedoria.
– Qualquer pessoa pode ser um homem de conhecimento?

Leia o resto deste post

O lado sombrio de nossa consciência

Nossa indignação com relação ao comportamento dos outros diz respeito, em geral, a um aspecto não-resolvido de nós mesmos.

Projetamos nossas deficiências nos outros. Dizemos aos outros o que deveríamos estar dizendo a nós mesmos. Quando julgamos os outros, estamos julgando a nós mesmos. Se você se atacar o tempo todo com pensamentos negativos, também atacará as pessoas à sua volta – verbal, emocional ou fisicamente – ou acabará destruindo alguma área de sua própria vida. O que você faz e o que você diz não são acidentais. Não há acidentes na vida que você criou. No
mundo holográfico, tudo é você, e você está sempre falando consigo mesmo.

Quando você for xingar alguém por ter feito alguma coisa errada, pare e pense se você chamaria a si mesmo com esse nome. Se estiver sendo honesto, a resposta, invariavelmente, será sim. O mundo é um espelho gigante que sempre reflete as nossas costas. Cada traço está ali por alguma razão, e todos eles são perfeitos à sua maneira.

Não faz muito tempo, percebi que estava perguntando às outras pessoas que conheço com que freqüência elas meditam, e por quanto tempo. Eu as lembrava de como é importante a meditação diária e permanecer pelo menos meia hora por dia voltado para si mesmo. Por fim, eu me perguntei por que estava tão inflexível com relação à meditação dos outros. Quando examinei meus motivos, cheguei à conclusão de que eu costumava falhar com freqüência na
minha prática de meditação…

Ao observar os motivos que me levaram a dizer às pessoas que meditem, reconheço minha própria necessidade.
Às vezes, nossa sombra está tão bem escondida de nós mesmos que é quase impossível encontrá-la. Se não fosse pelo fenômeno da projeção, ela poderia ficar escondida por toda a vida. Alguns enterram essas características de personalidade com a idade de apenas 3 ou 4 anos. Pense no tempo em que você brincava em casa, quando ainda era pequeno, e imaginese escondendo uma moeda. Vinte, trinta, quarenta anos depois, seria praticamente impossível
lembrar o incidente, quanto mais o lugar onde você escondeu a moeda. Ao projetar em outras pessoas, temos a oportunidade de, enfim, encontrar aquela determinada moeda.

Vemos nos outros tudo aquilo que gostamos e não gostamos em nós mesmos. Se incorporarmos essas partes,seremos capazes de ver os outros como eles são, não como os vemos através do nevoeiro da nossa projeção. Outro provérbio se refere aos três maiores mistérios do mundo, que são o ar para os pássaros, a água para os peixes e o homem para ele mesmo. Somos capazes de ver tudo diante de nós no mundo exterior. Tudo o que temos de fazer é abrir os olhos e olhar ao nosso redor. Como não podemos ver a nós mesmos, precisamos de um espelho para nos enxergar. Você é meu espelho e eu sou o seu.”

Texto retirado do livro: O LADO SOMBRIO DOS BUSCADORES DA LUZ de Debbie Ford

A compreensão

Eu nunca uso a palavra renúncia. Eu digo: — Regozije-se com a vida, com o amor, com a meditação, com as belezas deste mundo, com o êxtase da existência — regozije-se com tudo! Transforme o mundano em sagrado. Transforme estas paragens em outras paragens, transforme a terra num paraíso.

E então, indiretamente, uma certa renúncia começa a acontecer. Mas ela acontece naturalmente, não é você quem a faz. Não é um fazer, é um acontecer.

Você começa renunciando à insensatez, renunciando ao lixo. Renunciando aos relacionamentos sem sentido. Renunciando aos trabalhos que não o preenchem. Renunciando aos lugares em que não é possível crescer. Mas eu não chamo isso de renúncia, eu chamo de entendimento, consciência.

Se você está carregando pedras na mão achando que são diamantes, não vou lhe dizer para renunciar a essas pedras. Direi simplesmente: — Fique atento e olhe direito! — Se você mesmo vir que não são diamantes, haverá necessidade de renunciar a elas? Elas cairão das suas mãos por espontânea vontade.

Na verdade, se você ainda quiser carregá-las, será preciso fazer um grande esforço, será preciso uma enorme força de vontade para continuar carregando-as. Mas você não fará isso por muito tempo; depois que perceber que elas são inúteis, insignificantes, você não hesitará em jogá-las fora.

E, depois que suas mãos estiverem vazias, você poderá partir em busca de tesouros verdadeiros. E os tesouros verdadeiros não estão no futuro. Os tesouros verdadeiros estão no agora, aqui mesmo.

Osho, em “Consciência: A Chave para Viver em Equilíbrio”
Imagem por tanakawho
%d blogueiros gostam disto: