Arquivo do autor:maristelasr

A NATUREZA QUÂNTICA DA LUZ

Nesta conferência inicia-se a visão sobre a dualidade onda-partícula. O professor Laércio nos apresenta a natureza quântica da luz proposta por Einstein e é de suma importância para todos os espiritualistas compreenderem as bases da Física Quântica.

[youtube http://www.youtube.com/watch?v=2FPLdqZxsZM&feature=share&list=PLfmCkJ1e0FY5Z6-am38NDW8lI_J899r8t]

Vaidade – Igor Habib

Tema: Vaidade – Igor Habib

Entrevista dada por Igor Habib, engenheiro e conscienciólogo, a Ton Martins, no Programa “Ciência e Consciência” da TV Complexis.

Sua autoestima é baseada no seu controle interno ou externo.

Proexista – Proveniente de cuso intermissivo, realizadora da Proéxis ou programação existencial.

Vaidade x orgulho

Cosmoética – É a especialidade da Conscienciologia dedicada ao estudo da ética ou moral cósmica.

 

ENTREVISTA: FÍSICO QUÂNTICO AMIT GOSWAMI

O Roda Viva entrevista o físico nuclear indiano Amit Goswami, considerado um importante cientista da atualidade, ele tem instigado os meios acadêmicos com sua busca de uma ponte entre a ciência e a espiritualidade. Ele vive nos EUA, é PhD em física quântica e professor titular da Universidade de Física de Oregon. Há mais de 15 anos está envolvido em estudos que buscam construir o ponto de união entre a física quântica e a espiritualidade. Já foi rotulado de místico pela comunidade científica, e acalmou os críticos através de várias publicações técnicas a respeito de suas idéias. Em seu livro “O Universo Auto-Consciente” ele procura demonstrar que o universo é matematicamente inconsistente, e sem existência de um conjunto superior, no caso Deus. E diz que se esses estudos se desenvolverem, logo no início do terceiro milênio, Deus será objeto da ciência e não mais da religião.

 

Intrusão Consciencial: Heteroassédio X Autoassédio – Wagner Alegretti

Intrusão Consciencial: Heteroassédio X Autoassédio – Wagner Alegretti

Ton Martins entrevista Wagner Alegretti.

Tema: Intrusão Consciencial: Heteroassédio X Autoassédio.

Pesquisador: Wagner Alegretti (Presidente da IAC).

 

Paratecnologia e Paraecologia – Wagner Alegretti

Paratecnologia e Paraecologia  – Wagner Alegretti, engenheiro e conscienciólogo.

Entrevistador: Ton Martins doPrograma “Ciência e Consciência”, da TV Complexis.

Tema: Paratecnologia e Paraecologia

Paraecologia: É a ciência que estuda as relações entre as consciências em qualquer nível evolutivo e a relação destas consciências com seus meios, contudo agora multidimensionais.

 

Paratecnologia e a Consciência – Wagner Alegretti

Paratecnologia e a Consciência – Wagner Alegretti, engenheiro e conscienciólogo.

Entrevistador: Ton Martins doPrograma “Ciência e Consciência”, da TV Complexis.

Tema: Paratecnologia e Paraecologia

Mar de energia imanente em múltiplas formas.

O uso da tecnologia, a ética do seu uso.

Estamos conectados a Matrix?

Profilaxia das Manipulações Conscienciais

[youtube http://youtu.be/I9wsdRVlo7c]

Entrevista dada por Mabel Teles, professora universitária e consciencióloga, a Ton Martins, no Programa “Ciência e Consciência” da TV Complexis. Tema: Profilaxia das Manipulações.

A professora Mabel Teles esclarece um dos pontos mais importantes e atuais da atualidade. Como reconhecer as manipulações que nos rodeia. Como mantermos com a energia equilibrada. Como chegar ao nosso poder de consciência.

Ancient Aliens [S01E02] (Legendado) The Visitors

O episódio que propõe visitas alienígenas têm ocorrido em todo o mundo, e cita como prova, afirma que o povo Dogon receberam o conhecimento galáctico por um deus estrela, o Hopi e Zuni comemorações do Kachinas (ou “deuses do céu”), que são simbolizados com cocar que são ditas para assemelhar-se capacetes espaço moderno, e que os chineses Huangdi era um líder Han que vieram à Terra em um dragão amarelo que é sugerido ter sido uma metáfora para uma nave espacial.

Medicina Bioenergética: Entrevista com o Dr. Jorge Carvajal, médico cirurgião da Universidade de Andaluzia, Espanha, pioneiro da Medicina Bioenergética.

Qual adoece primeiro: o corpo ou a alma?
– A alma não pode adoecer, porque é o que há de perfeito em ti, a alma evolui, aprende. Na realidade, boa parte das enfermidades são exatamente o contrário: é a resistência do corpo emocional e mental à alma. Quando nossa personalidade resiste aos desígnios da alma, adoecemos. A Saúde e as Emoções.

Há emoções prejudiciais à saúde? Quais são as que mais nos prejudicam?
– 70 por cento das enfermidades do ser humano vêm do campo da consciência emocional. As doenças muitas vezes procedem de emoções não processadas, não expressadas, reprimidas. O medo, que é a ausência de amor, é a grande enfermidade, o denominador comum de boa parte das enfermidades que temos hoje. Quando o temor se congela, afeta os rins, as glândulas suprarrenais, os ossos, a energia vital, e pode converter-se em pânico.

Então nos fazemos de fortes e descuidamos de nossa saúde?
– De heróis os cemitérios estão cheios. Tens que cuidar de ti. Tens teus limites, não vás além. Tens que reconhecer quais são os teus limites e superá-los, pois, se não os reconheceres, vais destruir teu corpo.

Como é que a raiva nos afeta?
– A raiva é santa, é sagrada, é uma emoção positiva, porque te leva à auto-afirmação, à busca do teu território, a defender o que é teu, o que é justo. Porém, quando a raiva se torna irritabilidade, agressividade, ressentimento, ódio, ela se volta contra ti e afeta o fígado, a digestão, o sistema imunológico.

Então a alegria, ao contrário, nos ajuda a permanecer saudáveis?
– A alegria é a mais bela das emoções, porque é a emoção da inocência, do coração e é a mais curativa de todas, porque não é contrária a nenhuma outra. Um pouquinho de tristeza com alegria escreve poemas. A alegria com medo leva-nos a contextualizar o medo e a não lhe darmos tanta importância.

A alegria acalma os ânimos?
– Sim, a alegria suaviza todas as outras emoções, porque nos permite processá-las a partir da inocência. A alegria põe as outras emoções em contato com o coração e dá-lhes um sentido ascendente. Canaliza-as para que cheguem ao mundo da mente.

E a tristeza?
– A tristeza é um sentimento que pode te levar à depressão quando te deixas envolver por ela e não a expressas, porém ela também pode te ajudar. A tristeza te leva a contatares contigo mesmo e a restaurares o controle interno. Todas as emoções negativas têm seu próprio aspecto positivo. Tornamo-las negativas quando as reprimimos.

 Convém aceitarmos essas emoções que consideramos negativas como parte de nós mesmos?

– Como parte para transformá-las, ou seja, quando se aceitam, fluem, e já não se estancam e podem se transmutar. Temos de canalizá-las para que cheguem à cabeça a partir do coração. Que difícil! Sim, é muito difícil. Realmente as emoções básicas são o amor e o medo (que é ausência de amor), de modo que tudo que existe é amor, por excesso ou deficiência. Construtivo ou destrutivo. Porque também existe o amor que se aferra, que superprotege, tóxico, destrutivo.

Como prevenir a enfermidade?
– Somos criadores, portanto creio que a melhor forma é criarmos saúde. E, se criarmos saúde, não teremos que prevenir nem combater a enfermidade, porque seremos saúde.

E se aparecer à doença?
– Teremos, pois, de aceitá-la, porque somos humanos. Krishnamurti também adoeceu de um câncer de pâncreas e ele não era alguém que levasse uma vida desregrada. Muita gente espiritualmente muito valiosa já adoeceu. Devemos explicar isso para aqueles que creem que adoecer é fracassar. O fracasso e o êxito são dois mestres e nada mais. E, quando tu és o aprendiz, tens que aceitar e incorporar a lição da enfermidade em tua vida… Cada vez mais as pessoas sofrem de ansiedade. A ansiedade é um sentimento de vazio, que às vezes se torna um oco no estômago, uma sensação de falta de ar. É um vazio existencial que surge quando buscamos fora em vez de buscarmos dentro. Surge quando buscamos nos acontecimentos externos, quando buscamos muleta, apoios externos, quando não temos a solidez da busca interior. Se não aceitarmos a solidão e não nos tornarmos nossa própria companhia, sentiremos esse vazio e tentaremos preenchê-lo com coisas e posses. Porém, como não pode ser preenchido de coisas, cada vez mais o vazio aumenta.

Então, o que podemos fazer para nos libertarmos dessa angústia?
– Não podemos fazer passar a angústia comendo chocolate ou com mais calorias, ou buscando um príncipe fora. Só passa a angústia quando entras em teu interior, te aceitas como és e te reconcilias contigo mesmo. A angústia vem de que não somos o que queremos ser, muito menos o que somos, de modo que ficamos no “deveria ser”, e não somos nem uma coisa nem outra. O stress é outro dos males de nossa época. O stress vem da competitividade, de que quero ser perfeito, quero ser melhor, quero ter uma aparência que não é minha, quero imitar. E realmente só podes competir quando decides ser um competidor de ti mesmo, ou seja, quando queres ser único, original, autêntico e não uma fotocópia de ninguém. O stress destrutivo prejudica o sistema imunológico. Porém, um bom stress é uma maravilha, porque te permite estar alerta e desperto nas crises e poder aproveitá-las como oportunidades para emergir a um novo nível de consciência.

O que nos recomendaria para nos sentirmos melhor com nós mesmos?
– A solidão. Estar consigo mesmo todos os dias é maravilhoso. Passar 20 minutos consigo mesmo é o começo da meditação, é estender uma ponte para a verdadeira saúde, é aceder o altar interior, o ser interior. Minha recomendação é que a gente ponha o relógio para despertar 20 minutos antes, para não tomar o tempo de nossas ocupações.. Se dedicares, não o tempo que te sobra, mas esses primeiros minutos da manhã, quando estás rejuvenescido e descansado, para meditar, essa pausa vai te recarregar, porque na pausa habita o potencial da alma.

O que é para você a felicidade?
– É a essência da vida. É o próprio sentido da vida. Estamos aqui para sermos felizes, não para outra coisa. Porém, felicidade não é prazer, é integridade. Quando todos os sentidos se consagram ao ser, podemos ser felizes. Somos felizes quando cremos em nós mesmos, quando confiamos em nós, quando nos empenhamos transpessoalmente a um nível que transcende o pequeno eu ou o pequeno ego. Somos felizes quando temos um sentido que vai mais além da vida cotidiana, quando não adiamos a vida, quando não nos alienamos de nós mesmos, quando estamos em paz e a salvo com a vida e com nossa consciência. Viver o Presente.

 É importante viver no presente? Como conseguir?

– Deixamos ir-se o passado e não hipotecamos a vida às expectativas do futuro quando nos ancoramos no ser e não no ter, ou a algo ou alguém fora. Eu digo que a felicidade tem a ver com a realização, e esta com a capacidade de habitarmos a realidade. E viver em realidade é sairmos do mundo da confusão.

Em sua opinião, estamos tão confusos assim?
– Temos três ilusões enormes que nos confundem:
Primeiro: Cremos que somos um corpo e não uma alma, quando o corpo é o instrumento da vida e se acaba com a morte.
Segundo: Cremos que o sentido da vida é o prazer, porém com mais prazer não há mais felicidade, senão mais dependência… Prazer e felicidade não são o mesmo. Há que se consagrar o prazer à vida e não a vida ao prazer.
Terceiro: Ilusão é o poder; desejamos o poder infinito de viver no mundo. E do que realmente necessitamos para viver? Será de amor, por acaso?
O amor, tão trazido e tão levado, e tão caluniado, é uma força renovadora. O amor é magnífico porque cria coesão. No amor tudo está vivo, como um rio que se renova a si mesmo. No amor a gente sempre pode renovar-se, porque ordena tudo. No amor não há usurpação, não há transferência, não há medo, não há ressentimento, porque quando tu te ordenas, porque vive o amor, cada coisa ocupa o seu lugar, e então se restaura a harmonia. Agora, pela perspectiva humana, nós o assimilamos com a fraqueza, porém o amor não é fraco.
Enfraquece-nos quando entendemos que alguém a quem amamos não nos ama. Há uma grande confusão na nossa cultura. Cremos que sofremos por amor, porém não é por amor, é por paixão, que é uma variação do apego. O que habitualmente chamamos de amor é uma droga. Tal qual se depende da cocaína, da maconha ou da morfina, também se depende da paixão. É uma muleta para apoiar-se, em vez de levar alguém no meu coração para libertá-lo e libertar-me. O verdadeiro amor tem uma essência fundamental que é a liberdade, e sempre conduz à liberdade. Mas às vezes nos sentimos atados a um amor. Se o amor conduz à dependência é Eros. Eros é um fósforo, e quando o acende ele se consome rapidamente em dois minutos e já te queima o dedo. Há amores que são assim, pura chispa. Embora essa chispa possa servir para acender a lenha do verdadeiro amor. Quando a lenha está acesa, produz fogo. Esse é o amor impessoal, que produz luz e calor.

Pode nos dar algum conselho para alcançarmos o amor verdadeiro?
– Somente a verdade. Confia na verdade; não tens que ser como a princesa dos sonhos do outro, não tens que ser nem mais nem menos do que és. Tens um direito sagrado, que é o direito de errar; tens outro, que é o direito de perdoar, porque o erro é teu mestre. Ama-te, seja sincero contigo mesmo e leva-te em consideração. Se tu não te queres, não vais encontrar ninguém que possa te querer. Amor produz amor. Se te amas, vais encontrar amor. Se não, vazio. Porém nunca busques migalhas, isso é indigno de ti. A chave então é amar-se a si mesmo. E ao próximo como a ti mesmo. Se não te amas a ti, não amas a Deus, nem a teu filho, porque estás apenas te apegando, estás condicionando o outro. Te aceita como és; não podemos transformar o que não aceitamos, e a vida é uma corrente permanente de transformações.

“Todos os vícios, quando estão na moda, passam por virtudes”

Moliére

Solstício de 21.12.2012, fim do Calendário Maia.

Solstício de 21.12.2012, fim do Calendário Maia.

Atravessar na luz o portal de 21.12.2012 por Maria Silvia Orlovas – morlovas@terra.com.br

Já houve muitas explicações, medos e especulações sobre essa data, que mexem com a imaginação das pessoas ligadas à espiritualidade. Inclusive eu escrevi vários artigos sobre o assunto. O fato é que o momento chegou e gostaria de compartilhar com vocês uma orientação que recebi para viver essa passagem.

Os mentores falaram que devemos nos observar nesses dias. Devemos nos perguntar: Qual o nosso foco? O que está acontecendo em nossas vidas? Estamos bem? Ou estamos sofrendo? O que está reverberando em nossos corações? Qual é o momento familiar? Pois o foco deste momento é fundamental para a ascensão.

Se por acaso você está pensando na família, no desejo de ter um filho, ou um laço afetivo, será esse o tema kármico que sua alma precisa resolver. Se o ponto for sua vida profissional, a ambição de conquistar um lugar melhor, ou ter sucesso em seus caminhos, observe que é exatamente nesse aspecto que você terá que se resolver. E não se trata de finalmente conseguir aquela promoção tão esperada ou o equilíbrio financeiro necessário, porque estas questões são externas, mostram o desafio. O foco é como você enfrenta tudo isso, é observar a força, o poder que você dá a esta questão em sua vida. Porque muitas vezes podemos deixar de viver experiências lindas em outras áreas de nossa existência, por conta da tristeza, do mau humor, da frustração em não ter, não ser, ou não estar onde planejamos.

O que os mentores desejam nos mostrar é que temos que nos assenhorar do nosso destino e deixar de depender de situações externas para sermos felizes. Os Mestres querem que nesse dia olhemos para nós mesmos e observemos nossos pensamentos, nossos anseios e sonhos. Eles querem que a gente preste atenção na forma que o dia se configura, porque é exatamente nos desafios desse momento que está a chave da libertação.

Acho que algumas pessoas estão pensando que como está perto do Natal, das férias, do final do ano, que todo mundo está na correria, comprando presentes e programando viagens, mas nem sempre é assim. Algumas pessoas podem estar cuidando de familiares doentes, alguns
podem estar sem emprego, pensando em trabalho com tristeza e medo frente ao novo ano. Outros podem estar começando ou finalizando um casamento, uma relação afetiva. Enfim, as possibilidades são inúmeras. Cada um vivendo o seu destino, os seus desafios. O ponto que nos une é a reflexão sobre os caminhos a seguir. Pois podemos sofrer muito pelas coisas que teremos que enfrentar, ou ter um pouco mais de luz e esperança, e viver as experiências sem sofrer por antecipação. Vivendo cada momento como único.

Para se libertar e usar toda a força do portal do dia 21.12.2012 você precisará observar esse momento atentamente. Como se estivesse consultando um oráculo.

Aprendi que os oráculos servem para nos dar uma perspectiva dos próximos desafios tendo como base a energia que está em nós agora. Oráculos não programam a nossa sorte ou infortúnio, eles fazem um retrato da vida, um instantâneo do que o destino nos reserva, tendo
como ponto de partida o momento atual e as escolhas do passado, porém, a qualquer momento você pode mudar e a mudança estará impactando as próximas colheitas, os próximos anos da sua vida. Mas quem é que muda fazendo sempre as mesmas coisas? Conduzindo a vida pelo piloto automático?

A mudança vem da consciência, da compreensão do seu poder em escolher como reagir aos fatos da vida. Assim, observe a abertura do portal do dia 21.12.2012. Veja como será o seu dia, como se apresentarão as pessoas à sua volta, quais serão seus sentimentos e reações. Faça uma foto desse dia, guarde na sua mente as ideias que vierem, pode até anotar para tirar conclusões depois. Pois tudo o que acontecer terá um significado na sua caminhada.

Dizem os Mestres que a forma que atravessarmos o 21.12.2012 definirá nossa caminhada daqui para frente. Assim, queridos, vamos desenvolvendo a capacidade de olhar o bem, as mãos de Deus, em cada fato que se apresentar à nossa frente. E vamos na luz!

%d blogueiros gostam disto: