Arquivo mensal: novembro 2013

Condições “imutáveis” ?

matrixNão há nenhuma condição que você não possa mudar em algo mais, assim como não há nenhuma pintura que você possa pintar e, não gostando, simplesmente pintá-la novamente. Há muitos pensamentos limitadores no ambiente humano que o fazem pensar que isso não é possível, assim como vocês têm essas doenças incuráveis, ou essas condições imutáveis. Mas, nós dizemos: elas só são “imutáveis” porque você acredita que são.

[Abraham]

Anúncios

A vida pode ser tão maravilhosa ou horrível quanto você permitir

pensamentoJá que nada importa para você, além de seu alinhamento pessoal com seus objetivos individuais, ou com seus desejos, então é aí onde seu trabalho está. Não estamos aqui para discutir o certo ou errado do que você, ou qualquer pessoa, escolhe. Não estamos tomando partido a favor ou contra nada. Estamos aqui para lhes ajudar a entender que sua vida pode ser tão maravilhosa ou horrível quanto você permitir que ela seja. Tudo depende dos pensamentos que você pratica. E aí reside a base do sucesso de qualquer um: quanto pratico pensamentos que me trazem contentamento e quanto pratico pensamentos que me trazem dor?

[Abraham]

Do Seminário em  San Francisco, CA/USA, em 08/Mar/2003

A inovação da solidão

Que tenhamos um pensamento crítico quanto ao que o video mostra e que consigamos, de alguma forma, mudar este rumo…

Vi no http://papodehomem.com.br/porque-o-botao-nao-gosto-inexiste-no-facebook/

QUESTÕES BÁSICAS DA REALIDADE

mascara-que-cai[1]QUESTÕES BÁSICAS PARA A SUA REALIDADE
Jeshua ben Joseph
Mensagem canalizada por Judith Coates
2 de Novembro de 2013

Amado, gostaria de falar com você agora sobre questões, questões que são básicas à sua realidade, questões que surgem.

Muitas vezes, você estará fazendo estas perguntas que se referem a você e muitas vezes está fazendo estas perguntas que se referem a mim, perguntas tais como: “Quem sou eu? Eu acordo de manhã e me lembro da pessoa que eu era no dia anterior. Levanto-me e faço o que estou habituado a fazer naquele dia.”

E, no entanto, ao mesmo tempo, você sente que esta pessoa não é você. Você sente que é parte de você. É, na verdade, um ato, pois você é o ator/atriz representando uma determinada parte no que você vê como realidade – com “r” minúsculo – e você o faz muito bem.

Você se lembra da personalidade do dia anterior, e do dia anterior, e do dia anterior, e talvez você faça um pouco de remodelação e mudança durante o dia, pois pode haver novos amigos que vieram com algumas novas idéias. E você pode mudar o que parece ser a personalidade, enquanto passa por diferentes fases da vida.

“Quem sou eu?”

Leia o resto deste post

%d blogueiros gostam disto: