João o abundante – PARÁBOLAS DE KRYON

dinheiroKRYON  – LIVRO 4
AS PARÁBOLAS DE KRYON
Canalizações recebidas por Lee Carroll

João o abundante

Falaremos agora de João, o Abundante.

Vocês conhecem esse João. Nasceu dotado com a capacidade de criar riqueza. Tudo aquilo em que tocava o tornava mais rico, e o seu carma era esse. Muitos olhavam-no e diziam: “Teve que ser uma pessoa notável na vida passada para agora ter este carma positivo”. Mas diziam isso porque não compreendiam a sua lição. Inclusivamente quando era rapaz, João dedicava-se a gerir o dinheiro dos outros rapazes, para fazer isto, para prestar um serviço aqui ou atuar acolá. Quando terminou os estudos, no momento em que outros apenas começam a pensar no assunto, já João iniciava o caminho da abundância. A partir dali reuniu e armazenou uma fortuna.

Possuía tanta riqueza que, como individuo, não tinha capacidade para gastá-la durante a sua vida. Assim, João ocupou toda a sua vida a criar mais… e sentia-se desgraçado; depois, sentiu-se colérico.

João não possuía uma ideia clara da sua missão. Como era demasiado fácil criar abundância, João converteu-se numa pessoa irritável, que passava o tempo a queixar-se. Havia quem nem sequer quisesse a sua companhia, de tal forma era desagradável! Assim, os únicos que restavam eram aqueles a quem pagava bem para estarem com ele…, o que representava os seus próprios carmas.

Finalmente, João morreu como um homem desgraçado. Pouco depois de se encontrar do outro lado, deu-se conta de qual tinha sido a sua lição. Tinha escolhido uma das mais difíceis de todas, uma lição que foi incapaz de aprender.

Queridos meus, há livros que falam sobre isto, mas, esta noite, desejamos dizer-lhes o que o isto que significa e o que não significa. Foram traduzidas as palavras que dizem: ”Será quase impossível que um homem rico veja as portas do céu” Permitam-me que vos diga o que isto significa: É extremamente difícil para qualquer um que possua grande abundância alcançar a iluminação. A afirmação citada sustenta-se a si mesma, sem que nada possa ser dito em contrário. Essa foi a lição de João. Podia ele descer ao planeta, experimentar esse tipo de atributo e atingir a iluminação? As oportunidades de que dispôs para encontrar a iluminação passaram diante dele rapidamente, e ele nem sequer reparou. A obtenção de abundância mantinha-o totalmente ocupado.

Porém, alguns de vós leram este texto e, a partir dele, extrapolam um conjunto completo de regras, deficientemente relacionadas com o tema da abundância. Assim, dizem: ”O que Deus queria dizer realmente é que não se pode ser rico e alcançar ao mesmo tempo a iluminação”. Depois, esta lógica deficiente acrescenta: “Se tens riqueza, não és iluminado.” A fase final deste processo de pensamento diz: “Para encontrar Deus, tens que desprender-te de toda a riqueza” (… que, normalmente, deve ser entregue a alguma organização disposta a recebê-la,

com o propósito de ajudar a pessoa a desembaraçar-se dessa carga espiritual). Só então se pode alcançar a iluminação”. Estes mesmos indivíduos (piorando as coisas) equiparam “ser pobre” com “ser iluminado”.

Acreditem, meus queridos, que não é bem assim. Pedimos que vejam o sentido comum de tudo isto. Sempre temos dito que desejamos que tenham abundância. Noutras histórias, já vos levámos a fazer viagens nas quais tiveram acesso às salas internas das vossas vidas espirituais, e uma delas está sempre cheia, até ao teto, de coisas maravilhosas, de ouro e riquezas. (vejam o capitulo “Wo e a sala de aprendizagem” deste mesmo livro). Por que haveríamos de vos mostrar estas coisas, de convidá-los a co-criar a vossa própria realidade, para depois fornecermos um postulado dizendo não se pode ser iluminado e ter abundância ao mesmo tempo? A razão é a seguinte: pode-se ser totalmente iluminado e ter uma abundância sem limites.

Mas a parte difícil deste atributo é a seguinte: aquele que tenha nascido neste planeta com a capacidade para criar abundância facilmente possui um carma pesado. Irá essa pessoa olhar para o seu lado espiritual e alcançar a iluminação? Por outras palavras, a distração derivada da criação do poder é quase insuperável. Essa é a amplitude da situação.

Todos vocês são convidados a alcançar a abundância, todos e cada um de vós. O que foi escrito é apenas uma afirmação da dificuldade e uma advertência para terem cuidado: para alcançar a iluminação e a riqueza terrena ao mesmo tempo exige-se um grande equilíbrio e uma verdadeira sublimação do ego. Estes atributos não se encontram juntos com frequência. Quando se encontram, sabe-se que se encontrou uma alma muito antiga.

Bendito seja aquele que conhece a Deus e tem abundância!

Publicado em 06/13/2013, em Canalização, Espiritualidade, KRYON, Teosofia e marcado como , , , . Adicione o link aos favoritos. Deixe um comentário.

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: